Connect Law

Blog
3
maio

Controladoria Jurídica – Introdução e benefícios

Tenho notado um grande aumento no interesse dos advogados atuais no papel da Controladoria Jurídica em escritórios de advocacia e departamentos jurídicos.

Em parte, a procura por mais informações, advém do novo papel do advogado no mercado de trabalho.

Atualmente, apenas conhecimento técnico jurídico não é suficiente para cargos como coordenadoria e gerência. Até mesmo porque o papel de profissionais da equipe tática em um escritório ou departamento jurídico é cada vez menos técnico e mais gerencial.

Com base na necessidade no acompanhamento de rentabilidade de clientes, rendimento de funcionários, gestão de custos e análise estatística de carteiras de processos (número e média de condenações e padrão de julgados para melhoria em estratégias processuais, por exemplo) é que o advogado atual precisa estar cada vez mais conectado ao mundo negocial.

De uma década pra cá, os sócios de escritórios têm gerenciado suas bancas como uma empresa de pequeno ou médio porte que procura sempre ascensão organizada.

Mesmo os departamentos jurídicos têm sido cada vez mais pressionados para integrarem o escopo e valores da empresa.

Por isso, o papel dos escritórios de advocacia e departamentos jurídicos tem deixado de ser apenas repressivo (o famoso “apagador de incêndios”) e desconexo das demais áreas (administrativo, marketing, comercial) para se tornar parte essencial do negócio.

Provisão de valores para processos, por exemplo, têm se tornado uma grande prática no mundo jurídico, uma vez que não considera-los poderia diminuir consideravelmente ou mesmo zerar os lucros.

O exemplo mencionado acima é apenas uma parte da importância das finanças e estatísticas no direito.

Por esses motivos, profissionais qualificados gerencialmente têm ganhado cada vez mais espaço no mercado de trabalho.

Feita esta introdução posso afirmar que advogados com esse perfil têm conseguido grandes resultados supervisionando equipes de Controladoria Jurídica e abastecendo os sócios da banca ou supervisores de departamentos jurídicos com informações preciosas sobre o objeto de seu trabalho.

Com a finalidade de iniciarmos o debate sobre o assunto, explicarei no que consiste a Controladoria Jurídica e qual a sua finalidade.

Antes de adentrarmos ao assunto propriamente dito, ressalto que qualquer escritório ou departamento jurídico (independente de seu tamanho) pode implementar este setor. Não havendo nenhuma exigência mínima de porte.

A Controladoria Jurídica detém todas as informações jurídica/ administrativas que compõem o escritório ou departamento jurídico.

Ela é capaz de mensurar a quantidade de processos recebidos, os gastos com correspondentes de forma geral e qual é o caminho que o processo percorre do início ao fim.

Não obstante, a Controladoria Jurídica funciona como setor de qualidade das informações inseridas no software de gestão jurídica. Ou seja, funciona como guarda do instrumento de trabalho do escritório / departamento jurídico.

Com esse setor bem estruturado, é possível que os sócios dos escritórios consigam calcular honorários para recebimento de carteira de processos e deem aos clientes prévia de despesas com os processos.

Para o departamento jurídico, há o grande benefício no controle dos processos recebidos pela empresa e do desempenho dos escritórios terceiros (despesas e atuação processual) para que seja possível mensurar a qualidade do prestador de serviço.

O ápice da atuação da Controladoria Jurídica é na gestão do conhecimento, passo posterior à gestão da informação.

Engana-se quem acredita ser necessária uma grande estrutura para este setor. Em equipes reduzidas, é possível que um advogado seja Controller e responsável pela distribuição de prazos, controle de custos e supervisor de qualidade das informações constantes no sistema de controle dos processos.

É comum o entendimento de que apenas escritórios que trabalhem com contencioso de massa vejam necessidade na implementação deste setor.

Porém, se um gestor tem a intenção de ter o controle total de todas as informações dos processos sob sua responsabilidade, é invariavelmente necessária a presença da figura do Controller (acompanhado ou não de equipe).

A série de artigos que serão publicados aqui terão a intenção de destrinchar o papel da Controladoria Jurídica e auxiliar os interessados que possuem a intenção de implementar a área em seu negócio.

A próxima leitura trará o cotidiano da Controladoria Jurídica em escritórios de grande porte e departamentos jurídicos.

Nesse texto será possível analisar os papéis e procedimentos unitários de cada atividade da Controladoria Jurídica.

Agradeço a leitura e até a próxima !!!

Leave a Reply